sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Guia do Paulistão: grandes apostam em reforços, e interior tem veteranos

O Campeonato Paulista começa neste sábado com as quatro grandes equipes de São Paulo apostando em seus reforços e com os times do interior investindo em nomes bem conhecidos. Santos e o renovado Palmeiras, principalmente, jogam suas fichas no torneio. São Paulo e Corinthians se dividirão entre estadual e a Libertadores, mas tanto alvinegros, quanto tricolores prometem empenho na competição local para não serem pressionados logo no início do ano. Tanto que para a primeira rodada, estão planejando escalar o que têm de melhor à disposição.No regulamento uma novidade: os clubes poderão inscrever apenas 28 jogadores, em lista a ser enviada antes do jogo inicial, mas que pode ser completada até a quarta rodada. Essa limitação, na visão da Federação Paulista, poderá evitar que os treinadores optem por escalar times mistos quando as datas do estadual se chocarem com as da Libertadores. 
Header_CAMPEONATO_PAULISTA (Foto: Infoesporte)
Atual campeão, o Ituano chega com a difícil missão de repetir o título do ano passado. Poucos atletas da campanha histórica fazem parte do elenco atual. Mesmo assim, a confiança é de mais um bom desempenho do time agora comandando por Tarcísio Pugliese.

Entre os grandes, o Palmeiras entra na competição como a grande incógnita. Isso porque contratou mais de 15 jogadores, abriu mão de mais de 20 e chega totalmente reformulado, fazendo uma mescla de jogadores experientes, como Zé Roberto e Robinho, com apostas jovens como Leandro Pereira, Alan Patrick, Dudu, Gabriel, Ryder Matos, entre outros.No Santos, que desde 2009 vai a todas as finais, também não faltam novidades. Mesmo com problemas financeiros e perda de jogadores, o clube foi ao mercado a apostou em velhos conhecidos, como Elano e Ricardo Oliveira. Robinho, que acertou sua permanência, segue sendo o astro do time.

Corinthians, que volta a ter Tite no comando, e São Paulo, liderado por Rogério Ceni, mantiveram suas bases do ano passado e chegam fortes e consolidados em 2015. Mesmo com a Libertadores peça frente, a expectativa é que demonstrem força e cheguem à fase final.

A Portuguesa usará a competição para tentar começar a se reerguer após o rebaixamento à Serie C do Brasileirão, com um time muito modificado. Edno é a principal novidade. Entre as equipes do interior, destaque para o estreante RB Brasil, que subiu da Série A-2 no ano passado ao lado de Capivariano, Marília e São Bento.
Pelo interior, um desfile de veteranos será atração: aos 41 anos, Amaral, ex-Palmeiras, é o "vovô" do Capivariano. O RB Brasil tem o zagueiro Fabiano Eller, que acumula passagens por grandes clubes do Brasil, como Vasco, Fluminense e Santos. André Luis, zagueiro campeão brasileiro pelo Santos, em 2002, será o xerife do Mogi Mirim. O atacante Zé Roberto, ex-Flamengo e Botafogo, é a referência do Botafogo. 

CLUBES
Corinthians guia do paulistão (Foto: Arte esporte)

Com problemas financeiros e envolto nas eleições, o Corinthians terá no banco de reservas sua grande novidade em 2015. Campeão do estadual em 2013, Tite reassume o cargo com a missão de reconduzir o Timão aos títulos, mas, desta vez, com investimentos bem mais modestos do que já encontrou no clube. Sem grandes reforços, o foco é apostar no entrosamento da equipe.

O alvo está em passar para a fase de grupos da Taça Libertadores, mas o Paulistão não ficará de lado. Tite quer aproveitar as partidas para observar jogadores que não são considerados titulares para fortalecer o grupo. Isso acontecerá com os recém-contratados Edilson e Mendoza, além dos garotos oriundos da base, campeã da Copinha. Edu Dracena e Cristian, principais contratações até agora, vão ganhar ritmo no estadual.

Tite começa a temporada implantando o esquema tático que mais buscou informações durante o "ano sabático": o 4-1-4-1. A opção foi também pela facilidade de não alterar muito o 4-2-3-1 usado por Mano. Guerrero permanece como a referência, e as novidades são o meia uruguaio Lodeiro e o zagueiro Felipe, escalados depois de atuações irregulares na temporada passada.

O time-base é o seguinte: Cássio, Fagner, Gil, Felipe e Fábio Santos; Ralf, Elias, Lodeiro e Renato Augusto; Emerson e Guerrero. 
Palmeiras guia do paulistão (Foto: Arte esporte)



Um time totalmente reformulado após a péssima campanha no Brasileirão, mas com a autoestima renovada por conta da boa movimentação de mercado e as novidades que o elenco traz. Assim chega o Palmeiras para o Paulistão, competição que o clube não vence desde 2008.
Até agora, foram mais de 20 saídas e 16 contratações - outros ainda podem chegar. As mais significativas foram o meia Zé Roberto, o lateral-direito Lucas, o volante Gabriel, os meias Robinho e Alan Patrick e os atacantes Dudu e Rafael Marques, entre outras apostas. Fora de campo, mais novidades: Oswaldo de Oliveira, vice com o Santos em 2014, será o comandante. Na diretoria, Alexandre Mattos ganhou status de ídolo pela facilidade nas negociações. Dos que ficaram do ano passado, Tobio e Valdivia seguem com vaga no time, mas o chileno começa lesionado. Entre tantas mudanças, uma única certeza: o Palmeiras entra completamente diferente daquele que chegou à semifinal no último ano, mas teve Brasileirão pífio.
O Verdão deve começar o torneio com Fernando Prass, Lucas, Tobio, Vitor Hugo e Zé Roberto; Amaral e Gabriel; Allione, Alan Patrick e Dudu; Leandro Pereira.. Porém, com o decorrer dos jogos, alguns reforços como Jackson, Robinho e Rafael Marques devem ganhar vaga na equipe.
Santos guia do paulistão (Foto: Arte esporte)


No Santos, o técnico Enderson Moreira tenta desvincular a remontagem da equipe da crise financeira que fez estragos na Vila Belmiro neste começo de ano. Uma nova diretoria assumiu em janeiro e herdou uma série de pendências da gestão anterior. Não conseguiu pagar os salários relativos a dezembro e alguns atletas foram à Justiça tentar rescisão de contrato.

Aranha, Arouca, Mena e Leandro Damião – que já tinha sido emprestado ao Cruzeiro quando decidiu processar o Peixe –, todos com status de titular, buscaram os tribunais. Desses, só Mena conseguiu encerrar seu acordo graças a uma liminar. Os outros ainda tentam – mas já são considerados ex-atletas da equipe pela comissão técnica, que não conta com a volta de nenhum.

Assim, o time iniciará a temporada bem diferente daquele que terminou 2014. A principal estrela, porém, continua vestida com sua camisa 7. Robinho foi envolvido em especulações, mas nada que se concretizasse. Outro destaque do ano passado, Lucas Lima rejeitou oferta do Torino, da Itália, ganhou aumento e manteve o papel de maestro do meio-campo.

O Santos deve iniciar o Paulista com Vladimir, Cicinho, Gustavo Henrique, David Braz e Chiquinho; Alison, Leandrinho e Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Robinho e Geuvânio. Esse time ainda pode mudar durante o campeonato, com a volta de Gabriel, que está com a Seleção sub-20, além do provável aproveitamento de reforços como o zagueiro Werley, o volante Valencia e o goleiro Vanderlei. Elano, Ricardo Oliveira e Marquinhos Gabriel começam 2015 no banco.
São Paulo guia do Paulistão (Foto: Arte esporte)
Entre os grandes, o São Paulo é o que está há mais tempo sem conquistar títulos do Campeonato Paulista. O jejum tricolor já dura nove temporadas, com o último caneco tendo sido conquistado em 2005. De lá para cá, a equipe acumulou eliminações nos mata-matas e desempenho irregular quando a competição foi disputada por pontos corridos.

O Tricolor ainda entra em campo para apagar a péssima impressão deixada no torneio do ano passado, quando o time foi eliminado pelo Penapolense nos pênaltis, no Morumbi, após empate por 0 a 0 no tempo normal. A base de 2014 foi mantida e seis reforços foram contratados: os laterais Bruno e Carlinhos, o volante Thiago Mendes, o atacante Cafu, o zagueiro Breno e o meia Daniel. Destes, somente os quatro primeiros estão em condições já que o beque sofreu um estiramento muscular na coxa, enquanto o sexto só voltará aos gramados em agosto, quando se recuperar da grave lesão que sofreu no joelho direito.

O time-base que inicia a temporada é: Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Edson Silva e Carlinhos; Denilson, Souza, Michel Bastos e Paulo Henrique Ganso; Alan Kardec e Luis Fabiano.
Header_Botafogo-SP_690 (Foto: Arte Esporte)

Pelo segundo ano consecutivo, a montagem do elenco botafoguense para o Campeonato Paulista foi prejudicada pela saída do treinador. Em 2013, Pintado deixou o clube três dias após assinar contrato. Desta vez, Doriva abandonou o barco tricolor ao aceitar o convite do Vasco. Coube ao então auxiliar Alexandre Ferreira, com passagens por sub-15, sub-17 e sub-20 do Botafogo, assumir o cargo.

A vivência com a garotada do Pantera pesou a favor do novo treinador, que terá metade do elenco formado por atletas advindos das categorias de base. O mais experiente dentre as contratações, não pela idade, mas pelo histórico de conquistas, é o meia-atacante Zé Roberto, ex-Botafogo e Flamengo. Aos 34 anos, o jogador garante ter rejeitado propostas de times do nordeste e de um grande carioca para defender o Tricolor de Ribeirão.
Headers Capivariano (Foto: GloboEsporte.com)


Estreante na Série A-1 do Campeonato Paulista, o time de Capivari larga entre os principais times de São Paulo com uma grande atração nos gramados. O folclórico volante Amaral reviu a aposentadoria e assinou contrato para, aos 41 anos, defender o clube de sua cidade. O jogador se apresentou no início de janeiro e mostrou bastante desenvoltura e confiança no projeto. O sonho é reviver alguns dos bons momentos que marcaram sua carreira, especialmente com as camisas de Palmeiras e Corinthians, clubes que o fizeram conquistar o Paulistão quatro vezes (1993, 94, 96 e 99).
 
Amaral é um dos muitos reforços contratados pelo caçula da elite. O zagueiro Fernando Lombardi (ex-Paysandu), o meia Ailton (ex-Santa Cruz e revelado pelo São Paulo) e o atacante Romão (ex-Portuguesa) são algumas das caras novas dirigidas pelo técnico Ivan Baitello. Durante a preparação, o clube teve um baque e perdeu o atacante Silas, diagnosticado com leucemia. A meta do grupo, além de fincar o pé na elite, é dedicar uma boa campanha ao goleador, que marcou nove vezes na campanha do título da Série A2. Evitar o rebaixamento já será uma conquista festejada em Capivari.
A equipe deve começar o torneio com Douglas; Régis, Fernando Lombardi, Hélio e Pedro Henrique; Julio César, Everton Dias, Ailton e Antonio Flávio; Romão e Francis.
Header_Mogi-Mirim_690 (Foto: Arte Esporte)



A temporada começa de maneira fora do comum no Romildo Ferreira. Diferentemente de outros anos, o time de Rivaldo tem uma visão diferente de 2015, pois vai disputar o Paulistão e a Série B do Brasileiro, em acesso conquistado após 10 anos. O Sapo, então, nada nos louros da boa campanha do segundo semestre do ano passado. Manteve toda a base semifinalista na Série C, do experiente goleiro Mauro (campeão brasileiro pelo Santos em 2004) até o técnico Claudinho Batista, que ganhou voto de confiança para seguir no clube. Valdir, Leonardo, Fábio Sanches, Wagner e Magal também ficam.

Entre os reforços, quem se destaca é o zagueiro André Luís, bicampeão brasileiro com o Santos em 2002 e 2004 e protagonista e passagens polêmicas em toda a carreira (no Botafogo, chegou a roubar um cartão amarelo das mãos do árbitro e quase foi preso em jogo contra o Náutico, nos Aflitos). O volante Val, emprestado pelo Flamengo, chega ao clube pela quarta vez. A aposta mesmo está nos pés da dupla Geovane e Magrão, companheiros de CRB e que reeditarão a parceria no ataque do Mogi. No ano passado, Magrão fez seis gols em sete jogos e evitou o rebaixamento. Agora, o sonho é maior.
O time-base para as primeira rodadas é  Mauro; Valdir, Fábio Sanches, Wagner e Leonardo; Magal, Hygor, Edson Ratinho e Vitinho; Geovane e Magrão.
Headers RB Brasil (Foto: GloboEsporte.com)


Tal qual o Capivariano, o RB Brasil estreia na elite do Paulistão com novidades de sobra. A sonhada presença na primeira divisão faz parte do projeto da marca, já consolidada no mercado da Alemanha, da Áustria e dos Estados Unidos. Para repetir o sucesso de outras filiais, a versão "verde e amarela" do Toro Loko almeja logo uma vaga à Série D do Campeonato Brasileiro. Para isso, investiu em nomes rodados para completar o grupo capitaneado por Fabiano Eller, bicampeão da Libertadores e vencedor do Mundial de Clubes pelo Internacional, entre 2006 e 2010.

Os laterais Everton Silva (ex-Fla) e Jonas (ex-Vasco), os zagueiros Samuel (ex-São Paulo) e Willian Magrão (ex-Grêmio e Cruzeiro), o volante Andrade (ex-Vasco), o volante Jocinei (ex-Corinthians) e o meia Lulinha (ex-Corinthians e Bahia) são as principais caras do elenco do RBB para 2015. A mescla de jovens e experientes está nas mãos de Maurício Barbieri, técnico que em 2014 encerrou o trauma de morrer na praia na Série A2. Agora, o treinador tentará colocar o clube nas quartas de final, sonho difícil para uma estreia, mas não impossível pelo tamanho do projeto.
O time-base é Juninho; Jonas, Willian Magrão, Fabiano Eller e Romário; Andrade, Jocinei, Gustavo Scarpa e Lulinha; Raul e Edmilson.
Header_XV-Piracicaba (Foto: Infoesporte)



No quarto ano consecutivo entre os melhores clubes de São Paulo, o XV enxerga a atual temporada como chance de dar um passo à frente no projeto. Reformou o Barão de Serra Negra e investiu no time profissional para colher os frutos e ficar com uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro. Esse é, para a diretoria, o maior desejo, uma vez que o Nhô Quim não disputa uma divisão nacional desde 2003 (na ocasião, foi eliminado logo na primeira fase). Nas edições passadas, o máximo que conseguiu foi brigar por vaga no Título do Interior, em 2013.

Não faltam nomes conhecidos no plantel: o goleiro Diogo Silva (ex-Vasco), os laterais Ednei (ex-Chapecoense) e Éder Sciola (ex-São Paulo), os zagueiros Wescley (ex-Corinthians e Vasco) e Zelão (ex-Corinthians) e o meia Bruninho (ex-Flamengo) assinaram contrato. No banco, porém, estará a maior novidade. O pentacampeão Roque Júnior estreia como técnico. Nos treinos diários, mostrou uma visão diferente, com exercícios aprendidos na Europa. Resta saber se as inovações serão suficientes para completar o sonho quinzista.
O novo comandante deve começar a temporada com Diogo Silva; Ednei, Leonardo Luiz, Zelão e Fernandes; Clayton, Tony, Chico e Paulinho; Tiago e Roni.
Header_Penapolense_690 (Foto: Arte Esporte)


O Penapolense foi uma das boas surpresas do interior no Paulistão do ano passado, ao lado do Ituano, eliminando o São Paulo nas quartas de final e caindo na semifinal para o Santos. Para a edição deste ano, o elenco está completamente reformulado – apenas seis jogadores continuam –, mas a principal manutenção é a do técnico Narciso, considerado um dos responsáveis pela boa campanha no ano passado.

Mesmo com a ótima participação em 2014, Narciso tem um discurso humilde ao afirmar que o principal foco do time é garantir a permanência na elite em 2016. Esta será a terceira participação do CAP no Paulistão e o setor defensivo, composto por Jaílton e Gualberto, zagueiros que fizeram a dupla do ano passado, é a principal aposta. O provável time-base do Penapolense para o torneio tem: Leandro Santos, Arnaldo, Jaílton, Gualberto e João Lucas; Gilmak, Washington e Wellington Bruno; Crislan e Diego Rosa.
Header_Ituano_690 (Foto: Arte Esporte)


Atual campeão paulista, o Ituano chega ao estadual de 2015 com 12 jogadores do elenco campeão na temporada passada, sendo quatro deles titulares. O lateral Dick, o volante Josa e os meias Jackson Caucaia e Cristian "Mendigo", autor do gol do título, são alguns dos  remanescentes do Paulistão 2014. O sonho é repetir o feito histórico, embora a equipe seja mais modesta. Surpreender, porém, faz parte do objetivo do time mais uma vez.

A principal mudança no Ituano fica no banco de reservas. O técnico Doriva deixou o clube após o título na temporada passada e Tarcísio Pugliese é quem tem a missão de substituir o ex-comandante. O time base do Ituano para o torneio tem: Diego; Dick, Renato, Leonardo e Zé Carlos; Josa, Jackson Caucaia, Cristian e Marcelinho; Claudinho e Jheimy.
Header_Linense_690 (Foto: Arte Esporte)

Quinto pior time do Paulistão 2014, o Linense espera não passar pelo mesmo sufoco de escapar do rebaixamento na última rodada. Para isso, o Elefante apostou na "promoção" do auxiliar Luciano Quadros a treinador e formou um elenco novo.

Dos 28 jogadores, alguns vieram de times da Série B do Campeonato Brasileiro, como o goleiro Anderson, ex-Oeste, e o lateral Eric, ex-Boa Esporte. O time-base do Linense para o Paulistão tem Anderson; Eric, Adalberto, Álvaro e Bruninho; Jorginho, Tássio, Bruno Tiago e Clébson; Nando e Felipe Augusto.
Header_Portuguesa_690 (Foto: Arte Esporte)


Recuperação. Esse é o grande objetivo da Portuguesa no Campeonato Paulista. Isso porque a Lusa vem de uma das piores temporadas de sua história, que teve os desdobramentos do "caso Héverton" e a queda para a Série C do Brasileirão. Agora, o estadual se tornou o primeiro passo da caminhada para reerguer a Lusa.
O escolhido para comandar isso é Ailton Silva, técnico novo, que teve passagens apenas por clubes de menor expressão na carreira. Com um orçamento limitado, ele tentará uma participação no torneio para montar uma boa base e levar a equipe de volta à Série B no segundo semestre. A grande esperança está no meia Gabriel Xavier, destaque lusitano no último ano, que permanece ao menos até o fim do torneio. Artilheiro do Paulistão em 2014, o também meia Léo Costa é outra aposta da Rubro-Verde. Outra novidade é o retorno do meia Edno, cujo retorno foi definido na última quinta-feira.
O time-base deve ser o seguinte: Rafael Santos; Fabinho Capixaba, Guilherme, Valdomiro e Bruno Bertucci; Ferdinando, Betinho, Léo Costa e Gabriel Xavier; Diego e Popó.
Headers Campeonato Paulista  Marília (Foto: Editoria de Arte)


O Marília nem precisou sofrer derrotas em sua reestreia na elite do futebol estadual, de onde está afastado desde 2009, para sentir o clima de crise rondando o estádio Abreuzão. O clube passa por dificuldades e já enfrentou, antes da estreia, duas greves de jogadores, em protesto ao atraso de salários desde novembro. Alguns dos contratados, como o volante Lucas Surcin (filho de Marcelinho Carioca), o meia Souza (ex-São Paulo) e o atacante Giovanni, já foram embora.

O MAC aposta na estrela do técnico Luís dos Reis, comandante na campanha do acesso, e em jogadores experientes e identificados com o clube, como Wellington Amorim e Fabiano Gadelha. A principal contratação é o volante Boquita, ex-Corinthians. O time base deve ter: Rodrigo Calchi; Weslem, Thiago Gomes, Alex Bruno e Deca; Vitor Cruz, Boquita, Gilberto e Bruno Farias; Fabiano Gadelha e Wellington Amorim.
Headers Campeonato Paulista  São bento (Foto: Editoria de Arte)


Para sua campanha de reestreia no Paulistão, após sete anos nas divisões de baixo, o São Bento mantém o técnico Paulo Roberto Santos, que conquistou o acesso na Série A2 no ano passado, mas apresenta um elenco bem diferente. Apenas Henal, Veloso, Bruno Ré, Markinho e Tremonti são remanescentes da temporada 2014.

Entre as novidades, alguns atletas já são conhecidos, como o meia Giovanni, ex-Corinthians, e Renan, ex-São Paulo. Outros, são jovens promessas - caso dos atacantes Romário e Chico, ligados a Vasco e Palmeiras. O time base do São Bento para o Paulistão tem: Alex Alves; Veloso, Júlio Santos, João Paulo e Marcelo Cordeiro; Renan, Éder, Diego Barbosa e Renan Mota (Giovanni); Danilo Alves e Tremonti.
Header_Bragantino_690 (Foto: Arte Esporte)


A palavra-chave para 2015 no Bragantino é mudança. Após brigar para não cair na Série B do Brasileiro, o presidente Marco Chedid optou por renovar todo o elenco, além de comissão técnica e diretoria. Para montar um elenco competitivo, o clube trouxe o técnico Marco Aurélio Moreira, campeão da Copa do Brasil com o Cruzeiro, em 2000. Também firmou parceria com o Flamengo, que emprestou quatro jogadores - os zagueiros Renato Santos e Fernando, o volante Muralha e o atacante Igor Sartori.

O principal jogador é o experiente goleiro Lauro, ex-Inter, Ponte Preta e Cruzeiro. Com 34 anos, o arqueiro chega para ser o líder do renovado elenco. A esperança de gols está nos pés de mais uma antiga promessa do Flamengo: o atacante Diego Maurício. Conhecido como Drogbinha, o atleta está de volta ao Brasil após rescindir com o Vitória de Setubal e deve ser o camisa 9 do Massa Bruta.

Nos jogos-treinos, o técnico Marco Aurélio Moreira tem atuado com: Lauro, Thiago Martinelli, Wellington Reis, Renato Santos e Pedro Henrique; Anderson Uchoa, Adilson Goiano, Muralha e Caio; Igor Sartori e Diego Maurício.
Header_Ponte-Preta_690 (Foto: Arte Esporte)


Desde 2011 entre os finalistas do Paulistão, a Ponte Preta se consolidou como a principal força do interior no estadual, mas sabe que precisa de algo a mais para fazer frente aos grandes na fase decisiva. A obsessão pelo inédito título de expressão, que bateu na trave na Série B do ano passado, já foi maior em outras temporadas. Diretoria e comissão técnica evitam criar muitas expectativas. Prometem um time competitivo. A prioridade no clube, no entanto, é a disputa do Brasileirão. De volta à elite, o clube pretende usar o estadual para avaliar algumas contratações. Até por isso, o grosso do orçamento foi guardado para a montagem do grupo do Brasileirão.   

A aposta para a equipe engrenar é a manutenção da base que subiu em 2014 com o vice-campeonato da Série B. Pilares foram mantidos. A começar do técnico Guto Ferreira. O lateral-direito Rodinei, o zagueiro Tiago Alves, os volantes Fernando Bob, Josimar e Juninho e os meias Renato Cajá, Adrianinho e Roni formam a espinha dorsal do elenco. Em relação aos reforços, o principal foi o goleiro Marcelo Lomba, que chega do Bahia para substituir o ídolo Roberto. Já outros jogadores chegam com status de aposta, como o zagueiro Pablo, o volante Dedé, o meia Danilo Neves e os atacantes Biro Biro, Vitor Xavier e Fábio Santos. O ataque, aliás, é o setor mais carente, principalmente quando o assunto é a camisa 9. A diretoria ainda busca um nome forte para repor as saídas de Cafu, Rafael Costa e Alexandro, trio titular na Série B.
A equipe deve começar a competição com Marcelo Lomba, Rodinei, Tiago Alves, Pablo e João Paulo; Fernando Bob, Dedé, Renato Cajá e Thomás; Rildo e Fábio Santos. 
header audax são paulo - vermelho (Foto: arte esporte)


Surpresa no torneio do ano passado com um jogo diferente, ofensivo e de muito toque de bola - às vezes com certo exagero - o  Audax deve seguir com essa fórmula na competição de 2015. O técnico Fernando Diniz e boa parte do elenco foram mantidos e a expectativa é por mais jogos cheios de emoção.

Agora, o objetivo é passar da primeira fase, o que bateu na trave no último ano. Os reforços são modestos, como o ala Lelê, ex-Ponte Preta, o volante Gladstone, que atuou na base do São Paulo, e o meia Rondinelly, do Grêmio, que teve passagem apagada pelo Palmeiras. O goleiro Felipe Alves, famoso por sempre sair jogando com os pés como um atleta de linha, segue como titular.

O time para o início da competição deve ser: Felipe Alves, Francis, Bruno Silva e Didi; Gladstone, André, Thiago Silvy e Marquinho; Bruno Paulo, Rafinha e Ytalo.
Header_São-Bernardo_690 (Foto: Arte Esporte)


Depois de uma boa campanha no Paulistão de 2014, no qual foi eliminado na primeira fase por conta de apenas um ponto, o São Bernardo estreia na competição deste ano tentando alçar voos ainda mais altos. A classificação é o principal objetivo da equipe, que ficou marcada pelo grande apoio dos torcedores, sempre enchendo o estádio.
Para conseguir isso, o Bernô se reforçou com jogadores experientes como o zagueiro Alex Silva e o volante Moradei, além de ter mantido algumas peças. O último a chegar foi o principal nome para a competição: o meia argentino Cañete, emprestado pelo São Paulo. O próprio clube define o elenco atual como o "melhor da história". O técnico Edson Boaro segue no cargo e, após uma pré-temporada no Paraguai, a equipe está pronta para lutar pela vaga nas quartas de final.
A tendência é que o São Bernardo comece a competição com Luiz Daniel; Rafael Cruz, Diego Jussani (Alex Silva), Luciano Castan e Vicente; Daniel Pereira (Moradei), Dudu, Marino, Jean e Cañete; Lúcio Flávio.
Header_Rio-Claro (Foto: Infoesporte)


Em 2014, em seu retorno à Série A-1, o Rio Claro alcançou o objetivo principal e manteve-se na elite do futebol paulista. No segundo ano consecutivo, a meta agora é tentar uma vaga nas quartas de final do Paulistão. Para chegar longe no estadual, a diretoria manteve peças importantes da campanha da temporada passado e trouxe jogadores conhecidos do cenário nacional, além de promessas cedidas pelos chamados grandes.

Entre as novas caras do elenco, os destaques são o experiente Guaru, ex-Penapolense, Jeferson Paulista, ex-Botafogo, além dos jovens Paulinho, ex-Corinthians, e Bruno Cantanhede, ex-São Paulo. Dos jogadores que retornam ao Galo Azul nesta temporada, as apostas são o meia Patrik, ex-Palmeiras, e o zagueiro Renan, ex-Oeste. Buião será o responsável por comandar o clube em 2015. Promovido das categorias de base, esta será a primeira oportunidade do jovem técnico em um time profissional no Paulistão.

O time-base nas primeiras rodadas deve ser: Richard; Carlinhos, Renan, Pitty e Renan Luís; Alê, Patrik, Guaru e Jeferson Paulista; Paulinho e Macena
REGULAMENTO

O regulamento é o mesmo do ano passado. Serão quatro grupos com cinco times. Na primeira fase, com 15 rodadas, as equipes de cada grupo jogam contra todos os times das outras três chaves. Ao fim dessa fase, os dois melhores de cada grupo avançarão para as quartas de final. As quatro piores equipes no geral (independentemente de chave) serão as rebaixadas. Em caso de igualdade na pontuação, os critérios de desempate na primeira fase são: 1) mais vitórias; 2) melhor saldo de gols; 3) mais gols pró; 4) menos cartões vermelhos; 5) menos cartões amarelos; 6) sorteio.

Ao contrário das quartas e da semi, que serão em jogo único, a final do Campeonato Paulista será disputada em jogos de ida e volta - totalizando, assim, 19 datas no calendário. Em caso de empate nas quartas, semis, ou ao fim dos dois jogos da decisão, haverá cobranças de pênaltis.

A fórmula, alvo de críticas, permite situações curiosas. É possível, por exemplo, que os cinco times de um grupo tenham 100% de aproveitamento (ou seja, ganhem todos os seus jogos) e, mesmo assim, só os dois primeiros avançariam. Por outro lado, é possível que todos os cinco clubes de um grupo percam seus jogos e, mesmo assim, um deles avance, sem nenhum ponto conquistado, mas nos critérios de desempate. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BLOG DT NOTÍCIAS

BLOG DT NOTÍCIAS
VOCÊ FICA BEM INFORMADO COM AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE IPU REGIÃO